Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos são tema de reunião na SDR Araranguá

Publicado: 16/04/2014 às 18:20:00

A Secretaria do Desenvolvimento Regional de Araranguá sediou na tarde desta quarta-feira, 16, uma reunião para discussão da elaboração dos Planos Municipais de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos (PMGIRS), com a participação de representantes dos Municípios do Extremo-Sul que receberão os Planos e responsáveis técnicos da empresa Ambiativa Consultoria Ambiental (de Caxias do Sul), contratada pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável, para elaboração dos mesmos.

 

No encontro de trabalho, coordenado e mobilizado pela AMESC (Associação dos Municípios do Extremo-Sul Catarinense) e SDR Araranguá, as responsáveis técnicas pela Ambiativa, Andreia Cristina Trentin e Raquel Finkler, apresentaram os instrumentos da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Nacional 12.305/2010) e apresentaram as responsabilidades de cada um dos agentes envolvidos.

 

Na Região, serão elaborados Planos que tem como objetivo atender a Política Nacional de Resíduos Sólidos e contribuir para o planejamento ambiental e urbano de 12 Municípios, entre eles Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Ermo, Maracajá, Meleiro, Morro Grande, Passo de Torres, Praia Grande, Santa Rosa do Sul, São João do Sul, Timbé do Sul e Turvo.

 

O Plano será desenvolvido em etapas. Inicialmente será realizado um diagnóstico em cada uma das cidades, posteriormente a discussão para definição de metas e audiências públicas para encerrar os trabalhos. Está prevista para final do mês de setembro a conclusão e entrega dos Planos. O trabalho desenvolvido estará disponível em um website, que está em fase de finalização.

 

Segundo a gerente de agricultura e desenvolvimento econômico sustentável da 22ª SDR, Marizete de Oliveira, a constituição dos Planos de Resíduos Sólidos será fundamental para que a partir disto, os Municípios estejam aptos a receber recursos estaduais e federais para o desenvolvimento e a efetiva implementação destes Planos.

Ver notícia

Outras Notícias

Acesso ao IFC: Zé Milton e Nelson entregam projeto de pavimentação ao Governo

Acesso ao IFC: Zé Milton e Nelson entregam projeto de pavimentação ao Governo

17/04/2014 às 08:40:17

Dando continuidade ao trabalho para a celeridade dos inícios da obra de pavimentação do acesso ao Instituto Federal Catarinense - IFC/Santa Rosa do Sul, o deputado Zé Milton, por solicitação do prefeito, Nelson Cardoso, encaminhou, na tarde desta quarta-feira (16) ao coordenador do Pacto por Santa Catarina, Murilo Flores a documentação e o projeto da obra. "Estamos trabalhando para agilizar o encaminhamento dos documentos necessários, para que a licitação ocorra nos próximos dias", frisou o parlamentar, salientando a ação rápida do prefeito após o anúncio do Governador da liberação dos R$ 2 milhões. "O prefeito veio nesta tarde nos entregou toda a documentação, que repassamos ao secretário, com isto acreditamos que logo será feito o convênio", destacou Zé Milton, e ressaltou que continuará, nos bastidores, acompanhando todos os trâmites  para que a obra comece o mais breve. "Com esta etapa vencida, vamos agora garantir os recursos restantes que  estão incluídos no financiamento com o Banco do Brasil, sejam liberados durante a realização desta primeira fase da obra.     
Feriados terão restrição de veículos especiais na BR-101 Sul catarinense

Feriados terão restrição de veículos especiais na BR-101 Sul catarinense

15/04/2014 às 16:25:29

Os transportadores de carga deverão atentar para restrições de tráfego por trechos não duplicados da BR-101 Sul, em Santa Catarina, durante quinta-feira, sexta-feira Santa e na próxima segunda-feira, feriado de Tiradentes. Segundo a portaria 046, de dezembro de 2013, da Coordenação-Geral de Operações da Polícia Rodoviária Federal (CGO-PRF), estão sujeitas à restrição todas combinações com três ou mais unidades, como bitrens, rodotrens, tritrens ou treminhões, assim como as cegonhas de 22,4 metros, e todos os veículos que possuem ou deveriam possuir Autorização Especial de Transporte, em virtude de alguma dimensão excedente. As combinações de veículos com até duas unidades, sendo um caminhão-trator e um semirreboque ou um caminhão e um reboque, desde que não excedam as dimensões regulamentares (4,40 metros de altura, 2,60 metros de largura e entre 14 a 18,60 metros de comprimento), poderão trafegar por trecho de pista simples.   O objetivo da restrição é garantir a trafegabilidade de veículos menores durante os dias de feriados nas próximas semana, onde há acréscimo histórico na movimentação de veículos pela BR-101 Sul.  As restrições vão ocorrer nos seguintes dias e horários: 17/04 (quinta-feira): das 16 horas às 24 horas; 18/04 (sexta-feira): das 6 horas às 12 horas; 21/04 (segunda-feira): das 16 às 24 horas. Os trechos em que há tráfego de veículos por pista simples na BR-101 Sul/SC estão alocados: Do km 232 ao km 235 (Morro dos Cavalos, em Palhoça); No km 308 ao km 318, em Laguna; Do km 336 ao km 339, no Morro do Formigão, em Tubarão. De acordo com a portaria, o descumprimento da proibição de tráfego constituí infração de trânsito média, (R$ 85,13), prevista no artigo l87 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).  O veículo autuado só poderá seguir viagem após o horário de término da restrição. Para informações sobre avanço de obras, desvios e trabalhos complementares na BR-101 Sul catarinense, estarão disponíveis pelos canais de interação da ESGA/DNIT pelo telefone 0800 6030 101 e pelo site www.101sul.com.br.

A cada dois quilômetros, é possível realizar retornos na BR-101 Sul/SC

15/04/2014 às 16:24:49

Com a duplicação de pistas e aumento nos limites de velocidade, o trânsito pela BR-101 Sul catarinense, entre Palhoça a Passo de Torres, ficou mais rápido e seguro. Além da redução de tempo em movimentação, os usuários da rodovia federal podem contar, agora, com pontos para retorno de sentido a cada dois quilômetros, aproximadamente. A construção de 110 viadutos, ao longo de 248,5 quilômetros, possibilita a circulação de pedestres, de veículos entre bairros e retorno de sentido de viagem a cada 2,25 kms, em média. Somados aos viadutos, o DNIT disponibilizou, ainda, quatro retornos em nível, distribuídos em Tubarão, Araranguá e São João do Sul. Antes da duplicação de pistas, os motoristas precisavam trafegar até o acesso a bairros ou municípios, onde os retornos em nível existiam. Os viadutos, construídos sobre muitos desses contornos, são a forma mais confortável e segura de mudar a direção de fluxo, afastado da movimentação da rodovia. Com a construção de viadutos e a eliminação dos retornos sobre pista, os usuários da BR-101 Sul, sejam eles em trânsito de longo curso ou em tráfego local, devem atentar para a manobra de acessos das vias laterais. Nessas vias, o limite de velocidade é de 50 km/h, menor que na rodovia. Toda a indicação para os locais de retorno de sentido ou acessos a vias laterais é orientada por painéis, placas de indicação, pórticos e semipórticos instalados no trecho catarinense e gaúcho, pertencentes a sinalização definitiva da BR-101. Ao acessar as vias laterais, para completar a manobra de retorno ou acesso às cidades lindeiras, os motoristas devem ter atenção primeiro à sinalização vertical indicatória para ter certeza que naquele ponto da rodovia é possível a entrada. Anterior aos viadutos, o DNIT instalou painéis, com a altura das estruturas, para que transportadores de carga meçam o tamanho da carga e façam a manobra de retorno. Nos trechos duplicados, o retorno de sentido deve ser feito sob as obras de arte especiais (OAEs), liberadas. Os cuidados devem ser redobrados ao acessar as pistas sob os viadutos e passagens inferiores, observando o fluxo de veículos nas vias lindeiras, bem como a altura das estruturas. Nas vias lindeiras, o limite de velocidade está fixado em 50 km/h e a faixa da direita serve para tráfego local, entre bairros. Em algumas vias laterais, como em Tubarão, Içara, Maracajá, Sombrio e Santa Rosa do Sul há tráfego de veículos em mão dupla, sendo que os usuários devem ficar atentos à sinalização vertical disposta. Além das OAEs, a mudança de sentido nas faixas de rolagem pode ser realizada em retornos em nível, construídos em trechos duplicados da BR-101 Sul. Há retornos em nível no km 344, em Tubarão, no km 406, entre os viadutos de transposição do banhado de Maracajá, e no km 460 e km 461, em Santa Rosa do Sul. Nestes trechos os motoristas devem atentar para o reingresso na rodovia, sempre paralelo à faixa destinada ao fluxo rápido de veículos. Nos lotes em duplicação, os retornos de pista devem ser realizados nos pontos indicados na rodovia pela sinalização vertical provisória. Geralmente, nas extremidades dos desvios há retornos implantados.
Turistas e pescadores devem redobrar cuidados na construção da Ponte de Laguna

Turistas e pescadores devem redobrar cuidados na construção da Ponte de Laguna

15/04/2014 às 16:23:49

A temporada de Verão acabou e as atividades náuticas e pesqueiras, feitas por turistas na lagoa Santo Antônio dos Anjos, em Laguna, diminuíram. Mesmo assim, os cuidados permanecem, na medida em que as obras de construção da Ponte de Laguna avança sobre a lagoa, tanto para os turistas quanto para os pescadores, que naveguem próximo ao empreendimento.   Todos as pessoas que utilizarem embarcações, de quaisquer tamanhos, devem atentar para a circulação de balsas e barcaças de serviços utilizados pelo consórcio Ponte de Laguna. A lagoa Santo Antônio dos Anjos serve de espaço para natação, uso de lanças e jet-skis e também para pesca esportiva. Por isso, é preciso respeitar o espaço destinado para a circulação dos transportes aquáticos do consórcio, bem como é proibida a natação e pesca no canal dragado e sinalizado, bem como próximos aos pilares em construção.   O consórcio Ponte de Laguna, formado pelas empresas Camargo Corrêa- Aterpa M.Martins-Construbase, responsável pela construção da ponte sobre o Canal de Laranjeiras, na BR-101 Sul, alerta pescadores, turistas e as comunidades lindeiras ao empreendimento que realiza atividades de colocação das mãos francesas no trecho em água da ponte no Canal de Laranjeiras. As peças compõe as abas laterais para construção das faixas de rolagem de trânsito e são instaladas individualmente, partindo o tabuleiro da ponte. Todas as medidas de segurança são tomadas pelo consórcio construtor, no entanto, algumas precauções são necessárias para redobrar os cuidados e garantir a completa segurança da população que faz uso da lagoa. A sinalização deve ser respeitada e evitada a circulação de embarcações e banhistas nas áreas de operação, principalmente em aquelas de colocação de mãos francesas ou içamento de cargas. A construção da ponte sobre o Canal de Laranjeiras, em Laguna, é empreendimento rodoviário de grandes proporções. Toda a comunidade lindeira, localizada nos bairros Cabeçuda e Mato Alto precisam atentar para alguns itens de segurança. O mesmo é requerido dos pescadores, turistas e usuários da BR-101 Sul que trafegam entre o km 312 ao km 314. Pescadores artesanais ou turistas que naveguem pela lagoa por canoas, lanças ou jet-skis devem atentar a circulação das balsas de serviço, transportando peças, trabalhadores, aduelas e combustível, navegando do Canteiro Central até a frente de obras em água. É preciso observar o espaço sinalizado com boias metálicas, onde o canal de serviço foi dragado para circulação das embarcações envolvidas na construção da ponte. O DNIT e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) solicitam aos motoristas e pedestres, por vez, para atentar a movimentação de equipamentos e trabalhadores nas obras de construção. A frente de trabalho está toda cercada por tapumes, para evitar que pessoas não autorizadas possam acessar à obra, se expondo a riscos desnecessários. Para a população lindeira é preciso atentar aos cuidados necessários para cruzar as faixas de rolagem construídas no desvio. Há dois pontos para travessia de pedestres identificados que devem ser respeitados. É proibida a entrada de pessoas não autorizadas dentro das frentes de serviços. Atenção redobrada também a movimentação de trabalhadores e equipamentos na rua Dr. Paulo Carneiro, no bairro Cabeçuda, lindeira aos trabalhos. Toda a movimentação de obras é acompanhada por técnicos do consórcio Ponte de Laguna. 
Trabalhos avançam na cabeceira Sul da Ponte de Laguna/SC

Trabalhos avançam na cabeceira Sul da Ponte de Laguna/SC

15/04/2014 às 16:22:20

Os trabalhos de construção dos três apoios da cabeceira Sul (quatro pilares e uma travessa), na ponte para travessia do Canal de Laranjeiras, avançam em ritmo acelerado, abrindo espaço para a instalação das aduelas no segundo trecho corrente da estrutura. O espaço de obras está localizado próximo ao km 316 da BR-101 Sul catarinense, no limite dos municípios de Laguna e Pescara Brava, segundo trecho em terra da ponte. O primeiro, já com boa parte dos trabalhos concluídos, está localizado em Cabeçuda, Laguna. Na cabeceira Sul, a travessa, construída em concreto e aço, marca o limite entre as pistas elevadas e o início do trecho terrestre, já no lote 1 da travessia urbana lagunense. Outros dois apoios, com quatro pilares ao todo, formam o conjunto de suporte para reinicio da instalação das aduelas – peças que formam o tabuleiro da estrutura – seguindo do Sul em direção aos pilares estaiados, na lagoa Santo Antônio dos Anjos. Nos quatro pilares seguem os trabalhos para construção das travessias, onde a treliça-lançadeira vai apoiar as peças. Quando os trabalhos das aduelas, nos 33 vãos do trecho corrente Norte for finalizado, a treliça-lançadeira, equipamento utilizado no içamento e instalação das peças vai retornar ao primeiro vão da ponte, em terra, sendo desmontada e transportada, em caminhões, até a cabeceira Sul. Lá, o equipamento será remontado e instalado nos pilares. O processo de desmonte e remontagem da treliça vai demorar 70 dias. O consórcio Ponte de Laguna (Camargo Corrêa-Aterpa/M.Martins-Construbase) pretende iniciar a operação de translado no início do mês de maio. A Ponte de Laguna terá 52 vãos, quando finalizada. Os trabalhos continuam no trecho Norte, com a instalação dos últimos vão de aduelas, na construção dos dois mastros estaiados e a construção de pilares no trecho Sul. A cravação de estacas (camisas metálicas) está chegando ao final. Das 136 pilares previstos (96 em vãos e 40 nos dois apoios estaiados), 132 estão prontos. Do vão 1 ao vão 33, todos os pilares estão concluídos. Atenção para desvio no km 316 – Para abrir espaço à construção da cabeceira Sul da ponte, o DNIT redefiniu o trânsito de veículos para desvio provisório, liberado no final do ano passado. Com isso, os motoristas devem atentar para o limite de velocidade, fixado em 60 km/h, para a sinalização provisória de obras, para o reingresso de veículos vindos das comunidades de Laranjeiras e Bananal, bem como a todo a entrada e saída de veículos e trabalhadores envolvidos na obra. O desvio liberado ainda recebe trabalhos complementares no talude escavado. Toda a frente de obras está sinalizada e identificada, cercada com tapumes, evitando a entrada de pessoal não autorizado ou a redução de velocidade para observação dos trabalho. Também é proibido o trânsito de veículos pelo espaço liberado para movimentação dos equipamentos, sobre o antigo traçado de pista. Com a liberação do viaduto de acesso ao Bananal, última obra de arte especial do lote 25, os motoristas devem seguir a sinalização disposta para acesso às comunidades lindeiras a BR-101 Sul, neste segmento. A treliça-lançadeira – O içamento e instalação das aduelas é feita pela treliça-lançadeira, equipamento vindo de Portugal para Laguna, para ser utilizado exclusivamente nas obras da ponte. A treliça mede aproximadamente 131 metros de comprimento, com 12 metros de altura, contanto do tabuleiro (parte superior do pilar) e cerca de nove metros de largura e 600 toneladas de peso, sendo o maior equipamento em operação no empreendimento. A treliça tem base fixa, atrelada aos pilares, e um guindaste móvel que desliza sobre a estrutura, içando as aduelas e tem capacidade de carga de 1260 toneladas, sendo capaz de erguer um vão com 14 aduelas – 48 metros de comprimento –, pesando cerca de 1211 toneladas, ou o mesmo peso de 1279 carros Wolkswagem Gol G6. Cada vão deve ficar pronto em cinco dias, considerando as condições climáticas para operação na lagoa Santo Antônio dos Anjos. O consórcio estima que 30 pessoas serão necessárias para operação do equipamento e realização das atividades de construção civil envolvidas (colagem e tencionamento de cabos de aço das aduelas, etc.). Todos os profissionais das empresas integrantes do consórcio têm experiência em outros modelos de treliça-lançadeira, e receberam treinamento do fabricante para operar o modelo adquirido para construção da Ponte de Laguna.

Atenção redobrada para trabalhos complementares na BR-101 Sul/SC

14/04/2014 às 15:28:33

Os motoristas que trafegarem pela BR-101 Sul catarinense devem atentar para trabalhos complementares em dois trechos da rodovia federal. O primeiro segmento em modificações no fluxo está localizado entre o km 318 ao km 334, de Pescaria Brava a Tubarão, com interferência em ambos os sentidos. O segundo fica entre o km 352 ao km 353, no sentido Sul-Norte, do viaduto de acesso a Jaguaruna ao viaduto de acesso ao Morro Azul. Todos os trabalhos são voltados para a construção de proteções de concreto (New Jersey) na divisão central e bordos de pistas. Com tempo estável, as atividades serão realizadas até quinta-feira, ao meio dia e retornam na terça-feira, 22, após o meio dia. Para a construção das barreiras é necessário a interrupção em faixas de rolagem, sempre próximas do local de trabalho, para movimentação de equipamentos e trabalhadores. Toda a sinalização vertical provisória está disponibilizada, devendo os motoristas observá-la para evitar acidentes. A construção da barreira de proteção integra os serviços complementares da duplicação da rodovia federal. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) instalou cerca de 130 quilômetros de proteções de concreto para divisão de pistas duplicadas na BR-101 Sul catarinense. As divisórias servem de sinalização e proteção aos usuários da rodovia federal. O projeto de expansão do fluxo da rodovia federal prevê a construção de 134 quilômetros desse tipo de proteção, entre os municípios de Palhoça a Passo de Torres, divisa com o estado do Rio Grande do Sul. Do total, 97% estão concluídos, restando trechos pontuais nos lotes 25 e 29. As proteções de concreto New Jersey fazem parte do lote de sinalização definitiva da BR-101 Sul duplicada, assim como a vertical (placas, painéis e pórticos) e horizontal (faixas de eixo centra, bordos e zebrados). A estrutura separa os sentido de fluxo de tráfego, evitando a invasão da pista contrária, orientando a circulação de veículos. As estruturas – As barreiras “New Jersey” são construídas somente nos trechos duplicados e onde não há separação das pistas por canteiros de vegetação rasteira. Todos os lotes da duplicação receberam proteções desse tipo. As barreiras têm 80 centímetros de altura, com base de até 40 centímetros, sendo instaladas por meio de processo automatizado. O concreto é moldado por equipamento mecânico que dá forma à barreira, enquanto outros funcionários fazem os acabamentos estéticos. O tempo máximo para secagem do concreto é inferior a 20 horas. A Polícia Rodoviária Federal de Tubarão pede o máximo de atenção de todos os usuários da rodovia, que trafegam pelo local, nos trechos das obras complementares do Lote 25 e das remanescentes do Lote 29, entre Araranguá Sombrio.